Informática: Conheça a reciclagem de eletrônicos – Microexato

Informática: Conheça a reciclagem de eletrônicos

Sabia que o Brasil está na sétima posição dos países que mais produzem lixo eletrônico no mundo? Aproximadamente a média anual brasileira é de 1.5 milhão de toneladas conforme pesquisa da ONU (Organização das Nações Unidas).

Além de realizar a reciclagem de eletrônicos da forma correta em termos de descarte, é possível até mesmo lucrar ao reciclar em pontos que compram este tipo de material.

A reciclagem de produtos eletrônicos se trata de uma medida que deve ser considerada no momento em que determinado item tecnológico perder a capacidade de funcionamento, demonstrando falhas que inviabilizam as práticas das rotinas de trabalho ou se tornando obsoleto nas conexões com novas tecnologias.

No processo da reciclagem do lixo eletrônico especialistas aplicam técnicas para recuperar metais preciosos ou de base. Agora aprenda como o ato de reciclar pode contribuir para a sua empresa em termos sustentáveis.

Como deve ocorrer a reciclagem de eletrônicos?

Basicamente, a forma mais simples de realizar reciclagem de eletrônicos é juntar todo o material inutilizado e encaminhar os resíduos para uma cooperativa que desmonta as produções para saber o que pode ou não ser reciclado.

Veja mais detalhes em 3 etapas:

1: Conforme as regras estabelecidas na Política Nacional de Resíduos Sólidos os negócios geradores de lixo eletrônico precisam usar um sistema de logística reversa para a reciclagem de eletrônicos.

Ou seja, se a sua empresa produz bastante lixo eletrônico existe a obrigação legal de implantar uma forma de os produtos retornarem para as origens. Geralmente esta recolha acontece via coleta das produções inutilizáveis.

2: As empresas devem reunir os resíduos que estão inviáveis para rotinas operacionais.

3: Na sequência o lixo eletrônico deve ser encaminhado para locais autorizados antes do envio para centrais de recebimento ou cooperativas autorizadas a atuarem com reciclagem de produtos eletrônicos.

Compradores, poder público, comerciantes, lojistas, fabricantes, enfim, a partir do momento em que há cooperação entre diversos agentes a logística reversa funciona da melhor forma.

Materiais que podem ou não serem reciclados

Berílio, mercúrio, cádmio, chumbo e outras substâncias tóxicas precisam de um tratamento especial no processo da reciclagem uma vez que são nocivos à saúde.

Metais, vidros e plásticos são encaminhados de forma simples direto à indústria de transformação para se tornarem matérias primas que formam a base de novas produções eletrônicas.

Impressoras, monitores, notebooks, microcomputadores, servidores, enfim, diversos produtos de informática podem seguir para a reciclagem de eletrônicos no sentido de se tornarem produções seminovas. Inclusive plásticos como os tubos de monitor são recicláveis facilmente.

Por que a reciclagem de componentes eletrônicos é imprescindível para uma postura sustentável?

desenho de uma pessoa descartando lixo em uma lixeira, simbolizando a  reciclagem de eletrônicos

O processo de reciclagem de eletrônicos precisa ser feito de forma responsável, pois nem tudo pode ser descartado no lixo comum.

Os resíduos eletrônicos são compostos por chumbo, berílio, cádmio, mercúrio, cobre, alumínio, vidro, plástico, entre outros materiais tóxicos ou que demoram muitos anos para decompor na natureza, além de serem prejudiciais ao meio ambiente e à saúde.

Neste sentido, uma empresa que deseja ser reconhecida pela opinião pública como “sustentável” de verdade precisa estabelecer um plano de gestão de resíduos no sentido de gerar o descarte correto com menos chances de impactar o meio ambiente.

Com a reciclagem de eletrônicos que torna sua empresa mais sustentável também há benefícios como redução na poluição, prevenção contra descartes incorretos, valorização dos resíduos eletrônicos e recuperação de recursos naturais.

Quais os perigos do descarte incorreto dos lixos tecnológicos?

Se todo o tipo de lixo eletrônico estivesse 100% lacrado haveria menos problemas ambientais. Mas, a grande parte deste tipo de resíduo possui riscos quando é manipulada ou violada do modo incorreto, o que pode englobar desde descargas elétricas até problemas ambientais.

De olho nos elementos tóxicos

O descarte incorreto do lixo eletrônico acarreta danos não apenas à natureza como também para a saúde humana.

Compostos por diversos poluentes os produtos eletrônicos causam desequilíbrio ecológico uma vez que são absorvidos pelos lençóis freáticos, prejudicando fauna e vida humana.

De acordo com um levantamento realizado na Universidade de São Paulo, precisamente do CEDIR (Centro de Descarte e Reuso de Resíduos de Informática), algumas das principais substâncias nocivas dos produtos eletrônicos descartados de maneira incorreta são:

  1. Berílio: Origina câncer no pulmão. Presente em celulares e nos computadores.
  2. Arsênio: Causa câncer de pulmão, prejudica o sistema nervoso e provoca doenças de pele. Produção que se encontra em aparelhos de celular.
  3. Cádmio: Danifica pulmões, rins e ossos. Está em baterias de laptops ou nos desktops.
  4. Mercúrio: Provoca danos ao cérebro e fígado. Encontre a substância em tvs de tela plana, monitores ou computadores.
  5. Chumbo: Afeta sistema sanguíneo ou nervoso. Encontrado em tvs, celulares e computadores.

Por que optar por equipamentos seminovos e revisados para seu negócio?

Para ser uma empresa sustentável não basta apenas realizar a reciclagem de eletrônicos. Também é preciso comprar produtos que foram produzidos na base da reutilização. Por exemplo, ao invés de adquirir um notebook novo de uma marca famosa você pode levar outro modelo (ou outra produção com configurações semelhantes) no estado semi novo, restaurado e com garantia estendida, pagando até 70% a menos do que pagaria na edição nova.

botão CTA conheça nosso e-commerce

Visite o site da MicroExato e veja como a líder nas vendas de produtos de informática seminovos oferece produções de qualidade superior com preços populares.

Carrinho

Especialistas em tecnologia