Organograma funcional: o que é e como planejar o seu – Microexato

Organograma funcional: o que é e como planejar o seu

Hoje, preparamos uma explicação completa sobre o que é um organograma funcional para uma empresa. Você também poderá conhecer os principais tipos, as vantagens e utilidades deste diagrama indispensável à administração corporativa.

O que é um organograma funcional de uma empresa?

Um organograma funcional de uma empresa é o diagrama com as funções sobre profissionais, setores, atividades e (ou) competências técnicas. Ele representa uma estrutura gráfica com pequenos índices textuais que resumem os dados.

Basicamente, a ferramenta simplifica o entendimento sobre como funcionam as relações dos colaboradores na organização. Facilitando a estrutura interna corporativa, o organograma ajuda na administração e na identificação de problemáticas estruturais.

Quem inventou o organograma funcional?

Foi no ano de 1854 que Daniel MacCallum inventou a estrutura do organograma funcional. O norte-americano traçou o agora conhecido esquema organizacional com fins de implantar na administração de algumas ferrovias.

A simples ideia de MacCallum foi revolucionária à época, principalmente por causa das melhoras significativas em termos administrativos. Desde então, este plano tem sido utilizado por gestores do mundo inteiro para qualificar os métodos de gestão.

Organograma empresarial simples e outros tipos

Ao considerar cada tipo de organograma, pode-se dizer que as estruturas possuem muitas semelhanças, com pequenas diferenças importantes conforme as demandas e a mentalidade empresarial. Entre os principais formatos, estão:

  1. Organograma funcional;
  2. Organograma vertical;
  3. Organograma matricial;
  4. Organograma horizontal;
  5. Organograma circular.

Veja mais a respeito de cada uma das opções:

Organograma funcional

Também conhecido como organograma empresarial simples, o modelo foca mais nas funções exercidas do que na singularidade dos profissionais. Exemplos:

  1. Estoque;
  2. Vendas;
  3. Consultoria;
  4. RH;
  5. Contabilidade;
  6. Advocacia;
  7. Atendimento.

O organograma funcional é forte tendência nas companhias com mindset moderno e que reduzem o valor dos conceitos tradicionais de hierarquia. Isso porque, na estrutura, a função exercida tem mais importância do que a nomenclatura dos cargos.

Caracterizado por tornar mais claros os relacionamentos funcionais do negócio, esta esquematização não apenas informa setores como também destaca as maneiras em que diferentes áreas se interligam em uma empresa.

computador em um escritório que utiliza o organograma funcional.

Uma defasagem administrativa pode perdurar até que a empresa use o organograma funcional de forma inteligente.

Organograma vertical

Ao contrário das estruturas funcionais, o organograma no formato vertical objetiva conceder enfoque ao cargo ocupado por cada profissional. Alguns exemplos:

  1. Gerente;
  2. Atendente;
  3. Administrador;
  4. Redator;
  5. Assessor;
  6. Advogado;
  7. Diretor.

O organograma vertical é feito para destacar hierarquia corporativa e geralmente apresenta os presidentes e diretores na parte de cima e os cargos inferiores abaixo.

Organograma matricial

Essa esquematização proporciona um olhar atento à estrutura organizacional e, neste caso, os grupos de trabalho são destacados informalmente. Ele é útil para estruturar as equipes temporárias que foram contratadas em determinado projeto, por exemplo.

Organograma horizontal

A hierarquia é destaque, mas com importância inferior se comparada ao esquema vertical. Ao invés de cada atividade ser inserida uma abaixo da outra, as organizações são formatadas lateralmente.

Organograma circular

Aqui novamente, não existem preocupações hierárquicas: este é um diagrama que ressalta o trabalho em equipe e é muito popular nas empresas modernas ou startups. Como vantagem, os colaboradores se sentem mais pertencentes ao negócio, aumentando a confiança nas decisões conjuntas e no aspecto produtivo.

Como fazer um organograma para a minha empresa?

tela de notebook mostrando um organograma funcional.

O organograma funcional não é mais novidade, mas ainda é fundamental na gestão corporativa.

O ponto essencial de como fazer um organograma que os administradores não devem ignorar é a clareza das informações transmitidas. É muito importante que a estrutura seja de fácil compreensão.

Outra necessidade está na flexibilidade para a execução de mudanças. O organograma funcional ou de outros tipos corporativos é mutável e flexível às modificações de acordo com as estratégias dos gestores.

Confira o passo a passo de como desenvolver organogramas:

  1. Separe e analise cada função designada aos trabalhadores. Nas empresas menores, principalmente, é possível encontrar funcionários aptos a exercerem duas ou três atividades;
  2. Faça a divisão dos níveis de hierarquia com cores diferentes;
  3. Encaminhe o documento ao setor de administração para a análise, revisão e conclusão.

Dicas extras sobre o organograma simples corporativo

Desenvolva um estudo completo da organização antes de elaborar seu organograma funcional. Uma tendência atual está nos esquemas com reduções significativas da exibição dos níveis hierárquicos.

Opte por usar ferramentas da informática para a elaboração do diagrama: Canva (ferramenta online de design gráfico), Excel e Powerpoint (populares softwares do Microsoft Office) são escolhas intuitivas repletas de videoaulas ilustrativas que ensinam a como manusear as funcionalidades necessárias. 

Para facilitar, também vale a pena solicitar os serviços de uma consultoria de RH que seja especialista em organogramas funcionais.

As vantagens dos equipamentos usados

Pouco adianta elaborar um organograma funcional perfeito quando a empresa não possui equipamentos de informática capazes de garantir eficiência no trabalho, ou então quando o desperdício de verba é um problema presente do dia a dia.

Para adquirir máquinas potentes sem gastar dinheiro excessivo, existe apenas uma saída: comprar equipamentos usados de empresas confiáveis que oferecem:

  1. Garantia de 1 ano.
  2. Revisão de profissionais gabaritados.
  3. Opções de marcas famosas que custam até 70% a menos.

Servidores, PCs ou notebooks seminovos chegam a custar 70% menos do que unidades novas e oferecem o mesmo desempenho, desde que comprados de empresas especializadas que revisam todas as máquinas nos mínimos detalhes antes de venderem e que oferecem uma garantia no mínimo tão vantajosa quanto a dos novos aparelhos.

botão CTA conheça nosso e-commerce

A MicroExato é o maior fornecedor brasileiro de equipamentos usados de informática e conta com garantia de 1 ano para o segmento corporativo. Todos os produtos anunciados são rigorosamente testados e estão em pleno funcionamento. Estoques permanentes de 10.000 equipamentos com pronta entrega.

Carrinho

Especialistas em tecnologia